A Vida E Morte De Um Amor

A Vida E Morte De Um Amor - Beatriz Travassos | Tagrny.org Leia o livro. direto no seu navegador. Baixe o livro. da existência em formato PDF, TXT, FB2 no smartphone. E muito mais em tagrny.org.

EM FORMAÇÃO

AUTOR
Beatriz Travassos
DIMENSÃO
12,22 MB
NOME DO ARQUIVO
A Vida E Morte De Um Amor.pdf
ISBN
5678037039947

DESCRIÇÃO

“E se por aí, ainda existirem motivos, eles que surjam. Se por aí, ainda existirem esperanças, elas que apareçam enquanto a vida é curta. Se por aí, ainda existires tu, relembra-te de que por vezes o que está por acabar tem de ficar por acabar. A verdadeira essência dos sentimentos é um momento inesquecível, uma lembrança genuína, uma carícia na nossa mente, algo memorável, longe de ser perdido. – Assim, se mantém a verdadeira paixão. Porque é a partir desta, que se criam novos laços, e novos ódios; novos começos, e novos fins; novas esperanças e novas perdas; novos amores e novos desconhecidos; Não fui eu, não foste tu, nem foram eles. Foi tudo. Um tudo que levou a nada.Fomos provenientes da constante mudança do que vai, e do que não vêm; da constante mudança que nos corre pelos pontos vagos da mente. As nossas palavras voaram, as nossas ações passaram, e as nossas recordações limitam-se a sorrir por entre as falhas.Eu volto a Setembro a toda a hora, porque recordar é viver, e viver é viver-te, mesmo que tenha sido complicado viver por ti. Disse-te que não te deixava, mas deixei que tu me deixasses. Encontramo-nos, e encontramos outros. E assim a vida corre.”

É a vulnerabilidade que nos torna mortais e diferentes de Deus. Sabemos que não tem nenhum dinheiro ou tecnologia no mundo, que possa nos colocar acima da morte, das mágoas de um coração partido, Sem a morte, não haveria ética, pois nunca seríamos obrigados à urgência da decisão: é a tomada de consciência da morte que nos revela o milagre da existência e o valor de cada instante da vida e a sua densidade íntima e definitiva, é ela que nos coloca perante a exigência da "existência autêntica" por oposição à "existência inautêntica", como reflectiu Martin Heidegger. Hoje, Dia de Finados, tempo propício para refletir sobre a morte, o tempo e o amor.

Fiquei muito mal mesmo. Estava na escola e desmaiava, porque não comia", recorda emocionada. Enfermeiros são como anjos da parte de Deus.

LIVROS RELACIONADOS