A Publicidade Compartilhável Explicada

A Publicidade Compartilhável Explicada - Martins,Thiago Garcia Simões,Antonio Carlos | Tagrny.org PDF, TXT, FB2. ePUB. MOBI. O livro foi escrito em 2021. Procure um livro em tagrny.org.

EM FORMAÇÃO

AUTOR
Martins,Thiago Garcia Simões,Antonio Carlos
DIMENSÃO
3,78 MB
NOME DO ARQUIVO
A Publicidade Compartilhável Explicada.pdf
ISBN
2438924962941

DESCRIÇÃO

A publicidade viral morreu, ou melhor, talvez nem tenha existido, ao menos no conceito que acreditávamos. Vídeos, imagens e áudios não se proliferam na rede por meio de hospedeiro desavisado: eles são compartilhados ativamente, por livre e espontânea vontade dos usuários. O que faz o consumidor compartilhar uma publicidade? O que ele ganha ao espalhar um comercial? Pela mídia digital o usuário tem um papel ativo nas escolhas de conteúdos: além de escolher o que deseja ver, ele pode compartilhar e replicar os conteúdos. Assim a publicidade busca novas ideias e estratégias para atrair a atenção do usuário para que ele assista ou até, idealmente, compartilhe seu comercial. Este livro analisa e compara como vídeos publicitários compartilháveis constroem suas narrativas no intuito de entreter o público no ambiente digital. Percebe-se que, por mais que se discuta a mídia digital, estratégias antigas ainda são utilizadas. Por mais que as publicidades analisadas tenham conquistado sucesso na rede e utilizado vídeos como estratégias de promoção, elas apresentam divergências e similaridades em seus argumentos no ambiente digital.O autor “A ousadia teórica do livro de Thiago Martins, seu admirável esforço intelectual e imaginativo, foi combinar de modo reflexivo e crítico diversas teorias da biblioteca do conhecimento humanista e social contemporâneo. Necessita-se de coragem intelectual para reunir, em um mesmo ponto da análise, o pensamento filológico da primeira metade do século XX, as contribuições da semiótica peirceana da segunda metade do século XIX e os recentes avanços no campo de estudos publicitários. Essas contribuições eruditas são utilizadas com acerto para revelar os elementos que fazem com que um vídeo consiga ser espalhado por milhões de espectadores sem outra retribuição além do prazer imaginado dos outros que receberão esses signos. Seguindo os passos daquele grande filólogo que iniciou o caminho da reflexão séria e teórica sobre os pequenos signos que rodeiam nosso cotidiano, Thiago compreendeu que nosso mundo despoético ainda pode extrair grandes benefícios da poesia dos signos verbais, visuais e musicais da publicidade.”Professor doutor Fernando AndachtUniversidad de la República, Montevideo, UruguaiProfessor compartilhado – Pós-GraduaçãoUniversidade Tuiuti do Paraná

Publicidade Legal: São os anúncios cuja publicação é exigida pelas empresas de capital aberto, por lei ou regulamentação específica, de modo a que se façam balanços, comunicados, convocação de assembleias, avisos ou editais. Só passado 100 anos é que a publicidade foi vista do ponto de vista do consumidor, e foi Benjamin Franklin, considerado o pai da publicidade, que a impulsionou. Esta nova forma de ver a publicidade juntamente com o surgimento de jornais, que começaram a ser utilizados como meio publicitário, sendo feita a promoção de livros e jornais, como patrocinadores destes jornais. Livro A Publicidade Compartilhável Explicada por PDF Livro Lua - A Princesa da Floresta Dourada por Anabela Lopes PDF Livro Porquê ir à Missa ao Domingo? por Bruno Forte PDF A publicidade usa técnicas multimídia para promover produtos, serviços e ideias, sendo formatado para persuadir um público a desejar seus produtos.

É, sobretudo, um grande meio de comunicação com a massa, com o ... Publicidade que passa nos meios de comunicação social, como rádio, televisão, cinema, jornal, revistas, ou outdoors. Publicidade Legal: São os anúncios cuja publicação é exigida pelas empresas de capital aberto, por lei ou regulamentação específica, de modo a que se façam balanços, comunicados, convocação de assembleias, avisos ou editais. Só passado 100 anos é que a publicidade foi vista do ponto de vista do consumidor, e foi Benjamin Franklin, considerado o pai da publicidade, que a impulsionou.

LIVROS RELACIONADOS